Sanidade: Livros do Stephen que brincam com os personagens e o leitor

2 meses atrás
462

Stephen king tem um grande catálogo de livros, hoje vou falar de alguns que seus protagonistas chegam no limite, que a agonia é extrema, que o conceito de sanidade é testada e com maestria, o escritor brinca com seus personagens e com o leitor.

Misery, um livro que encontramos um escritor famoso, Paul, com suas pernas quebradas depois de um acidente de carro e preso em um quarto, na casa da sua fã número 1, que se encontra com raiva do final do último livro, assim, ela faz um acordo, ela cuida dele, enquanto isso, ele escreve um novo livro para ela. Só que Annie, sua amada fã e enfermeira, é visivelmente perturbada, tendo surtos de humor e desaparecendo, deixando o protagonista sem comida e água, fazendo que ele faça atitudes terríveis para sobreviver, é uma luta acompanhar esse enredo, a falta de mobilidade, a falta de vida ao redor e de esperança, se encontrar na mente dele e perceber a sanidade saindo aos poucos, ao mesmo tempo que você se questiona o quão ruim uma pessoa pode ser, será que alguém nasce ruim ou se torna ruim? Como uma pessoa se torna tão má assim? Será que faz sentido ter esperança? Será que existe escapatória quando você se encontra debilitado?

Existem cenas de tortura física sendo detalhadas e de vícios de remédio, então, estejam prontos para se sentir agoniados e tentarem, mesmo quando parece impossível, torcer pelo personagem. O livro também ganhou uma adaptação em 92, que se encontra disponível na Amazon prime.

Cemitério maldito, é um livro que acompanhos o médico Louis, se mudar para outra cidade com sua família, no primeiro dia de seu emprego, um jovem já morre e ele recebe um aviso, não ir ao cemitério maldito, mas claro, ele não segue seu conselho e vá com seu vizinho, para trazer seu gato a vida antes do retorno da sua filha.

Trazendo um enredo misterioso, debatendo um dos maiores tabus da vida, ou seja, a morte e o que você faria caso tivesse o poder de retornar a vida, adentrando nesse consciente do médico e do leitor, entramos em um ciclo de agonia e questões, tentando ao máximo fazer que você sinta tudo que os personagens daquela história sentem, como nossas escolhas tem um peso além do que imaginamos e como a morte… pode ser uma melhor opção. Ele ganhou duas adaptações, uma de 89 e outra de 2019, ambas com suas peculiaridades e diferenças.

O iluminado, com uma adaptação famosa, ainda mais por ser odiado pelo Stephen, é um dos seus maiores sucessos.

Acompanhando o Danny, um filho de um casal problemático, já que seu pai tem problemas com álcool, eles vão para um hotel no meio do inverno, apenas os três, para seu pai cuidar dele e manter tudo certo, mas obviamente, existe algo errado com o hotel, que começa brincar com suas mentes e trazer determinados traumas a tona. Mas, não vou adentrar muito nesse livro, já que pretendo trazer uma resenha completa dele no futuro. Recomendo que leiam e assistam a sua adaptação, que se encontra no HBO Max.