Layla | Confira a resenha literária do livro de Colleen Hoover!

1 mês atrás
178

“Ela deve ser a pessoa mais imprevisível que já conheci. Até mesmo suas frases mais simples me pegam de surpresa” 

 

autora Colleen Hoover trouxe em sua obra literária Layla, sua versatilidade no momento de formar um enredo e a complexidade de conseguir construir personagens únicos e persuasivos que apenas ela consegue trazer à tona. Ela conseguiu desenvolver plot twists e conflitos durante o decorrer da obra de um modo que consegue prender qualquer leitor.

Para aqueles que conhecem Verity que causou um enorme rebuliço de sucesso para Hoover, já sabe que a autora sabe construir um enredo que deixa um gosto umami em nossos sentidos literários. No caso de Layla, seu primeiro romance com uma pitada de sobrenatural. 

A obra se constrói em narrativas entre o presente e o passado, pelo protagonista Leeds Gabriel e da paixão intensa que sentiu por Layla numa festa de casamento no qual ele trabalhou com sua banda, no qual ele está contado para um homem que quer ajudá-lo com acontecimentos bizarros que estão ocorrendo com eles e Willow. Não é nos apresentado muitos personagens ou cenários, sendo de melhor absorção tudo que é apresentado de forma gradativa.

A resenha deste livro terá muitas omissões para aqueles que se interessarem ler não percam o encanto, afinal, a obra em si entrega muito mais do que a sinopse promete.

Podemos dizer que Colleen Hoover utilizou ferramentas literárias para deixar sua escrita ainda mais eletrizante, como dito anteriormente, não utilizou tantas trocas de cenários deixando os personagens apresentados enclausurados e impotentes, como ratos presos num labirinto em busca da saída.

 

“Espero que voltar ao lugar onde Layla e eu nos conhecemos seja como uma reinicialização em nossas vidas. Tenho a noção de que, se nos levar de volta à linha de partida, nunca cruzaremos a linha de chegada.”

 

O relacionamento entre os protagonistas desde o início se mostra intenso em todos os aspectos, como se vivessem sem um amanhã concreto para poderem viver. Estão sempre discutindo sobre “ser e existir”, convencendo todos que estão lendo que atração não segura um relacionamento e que tudo é um conjunto de conversas e discussões e nada é em vão. Até o momento que Layla sofre um atentado e acaba mudando de água para vinho.

Leeds que vivia no piloto automático após a morte de seu pai e que apenas aprendeu a viver quando conheceu Layla ao acaso, vê que esta perdendo aos poucos a mulher que o fez sentir vivo novamente e decide fazer de tudo para que ela volte a ser aquela garota que conheceu com a alma divertida e leve que transmitia em tudo que fazia.

E então, durante as árduas tentativas, surge Willow, um total oposto de Layla — depresiva, misteriosa e solitária, que faz Leeds começar a questionar o que realmente sentia por sua namorada. Tanto Willow Leeds estavam buscando algo que não sabiam o que era, até encontrar um no outro, deixando Layla para o escanteio.

O paranormal durante o decorrer é algo mais sútil, quando as explicações começam a ocorrer, mas não espere algo no estilo de Stephen King. Afinal, Leeds Gabriel que está contando a história para nós, tentando convencer tudo que ocorreu é realidade em sua visão. E como esperado de Hoover, ela não planeja convencer os leitores com expectativas criadas numa sinopse, mas sim, algo inesperado durante o decorrer da leitura.

 

Temos como a sinopse oficial: 

“Após Layla sofrer um acidente que deixou sequelas neurológicas graves, seu namorado resolve levá-la para uma viagem romântica para a pousada onde eles se conheceram. Mas acontecimentos inexplicáveis fazem ambos suspeitarem de uma presença sobrenatural. Exemplar acompanhado de pôster, marcadores e cards. Quando Leeds conhece Layla, ele está convencido de que passará o resto de sua vida com ela. Ela é espontânea, divertida, e a vida ao seu lado é fácil e tranquila. Até que um ataque inesperado faz com que Layla precise lutar por sua vida. Após semanas no hospital, Layla se recupera fisicamente, mas as cicatrizes mentais e emocionais alteraram significativamente a essência e personalidade da mulher por quem Leeds se apaixonou. Com o objetivo de colocar o relacionamento dos dois de volta nos trilhos e tentar fazer com que os dois voltem a ser o que eram antes da tragédia, Leeds leva Layla para a pousada onde se conheceram, na esperança de que o lugar desperte em Layla os vívidos sentimentos de antes, no início da relação dos dois. Mas, assim que chegam ao lugar, situações bizarras começam a acontecer, uma após a outra, e o comportamento de Layla sofre uma mudança ainda mais drástica. Confuso e sentindo-se cada vez mais solitário, Leeds passa a investigar o porquê dos eventos e, sem que realmente perceba, se vê, de repente, obcecado. Sentindo-se a cada dia mais distante e apático com relação a Layla, Leeds encontra consolo em Willow – outra hóspede da pousada onde estão instalados. Os dois estabelecem uma rápida e intensa conexão, e Leeds começa a perceber, atônito, que prefere a companhia da mulher à de Layla, fazendo o possível – e impossível – para encontrá-la, evitando deixar Layla tomar ciência do que acontece ao seu redor. No entanto, à medida que sua curiosidade por Willow cresce, aumentam também os riscos à segurança e bem-estar de Layla. Rapidamente, Leeds percebe que precisa fazer uma escolha, depressa. No entanto, uma decisão errada pode prejudicar a todos”.

 

O livro Layla da autora Colleen Hoover é traduzido e publicado através da Editora Galera, sendo possível ser encontrado em diversas plataformas digitais e em livrarias em todo o Estado brasileiro.