Jill e Jessa: A vida continua | Em meio à polêmica o TLC não dará continuidade ao reality

4 meses atrás
618

O drama da família Duggar aparentemente se tornou mais do que TLC estava disposto a lidar, já que Counting On (Jill e Jessa: A vida continua, aqui no Brasil) foi cancelado devido ao escândalo da recente prisão de Josh Duggar. A série, um spin-off de 19 Kids and Counting , durou 11 temporadas,e terá seu episódio final indo ao ar em setembro. Para quem  não lembra, Josh Duggar foi preso no estado do Arkansas em abril sob suspeita de recebimento e posse de pornografia infantil. Seu julgamento foi originalmente marcado para começar em 6 de julho, mas hoje cedo sua defesa conseguiu adiar a data de início para novembro.

A equipe de Duggar havia inicialmente tentado adiar o início pelo menos até fevereiro de 2022, mas os promotores recusaram tal pedido, e o tribunal encontrou um meio-termo. Este não é a primeira polemica envolvendo Duggar com a lei. O mesmo foi investigado depois de uma denuncia sobre ter molestado cinco meninas entre 2002 e 2003, além de ter sido encontrado uma conta ativa no site de relacionamento Ashley Madison, na levou ao cancelamento de 19 Kids and Counting em 2015.

“A TLC não produzirá temporadas adicionais de Counting On “, disse a rede à TVLine em um comunicado. “O TLC sente que é importante dar à família Duggar a oportunidade de abordar sua situação em particular.”

Após o cancelamento de 19 Kids and Counting , Joshua Duggar não apareceu em Counting On , embora sua esposa e filhos continuassem fazendo parte do reality show. Em 2019, surgiram rumores de que sua esposa Anna aguardava o divórcio , mas que a família temia o que poderia acontecer, e como isso poderia prejudicar sua reputação, se Josh tivesse que enfrentar qualquer tipo de julgamento.

Um julgamento agora é inevitável, a menos que Duggar opte por se declarar culpado das acusações atuais. De acordo com a Fox News , o governo alega que os Duggars não entregaram provas e documentos relativos ao caso, que foram exigidos pelo tribunal. As evidências ainda pendentes consistem em dois computadores que foram apreendidos. Um contém “o Material de Abuso Sexual Infantil acusado na Acusação e o outro contém evidências corroborativas relevantes, como mensagens de texto e fotografias digitais”.