Contos Nerd | O Universo virou um Mega Drive

3 anos atrás
562

Faaaaaala galerinha do video game, essa vai pros mais oldschool possível hahahahaha Escrevi um Conto Nerd, espero que gostem hahahahaha Parsas, o universo virou um mega drive, como isso aconteceu? Começa agora a épica narração da aventura extraordinária… (É só uma ficção tá?)

Estava eu nas maravilhosas aventuras de um adulto sem emprego, então, para curtir minhas férias forçadas, comecei a mexer no armário do meu quarto e encontro uma relíquia esquizofrênica mano, encontrei caixas de cartuchos de Mega Drive, o controle, cabos, muitos jogos… Aí olhei pra esse tesouro que acabei de desenterrar e não pensei duas vezes em reviver a infância né… Conectei tudo na TV e pá, aí na hora que abrir a caixa do jogo Prince of Pérsia, havia um Password em um papel muito antigo, um papel de um ingresso de uma festa de 1988 com a seguinte frase “Você foi uma das crianças escolhidas a participar do evento” e o Password atrás, li o papel, nada de mais, aí liguei o vídeo game e coloquei a senha, quando eu apertei A meus consagrados, aconteceu o Bug do Milênio!!!! O UNIVERSO VIROU UM MEGA DRIVE CONFRADES!!!! Do nada o Universo começou a se desmaterializar e ficar tudo escuro em um nada mané, como isso, aí eu vi de fundo uma imagem se resplandecendo e surgindo brilhantemente na minha frente, apenas como uma  luz e uma voz do Cid Moreira hahahahaha

 

 

“Parabéns guerreiro, você ativou o Código de alterar a realidade que vive! Você terá direito a uma recompensa se cumprir o desafio de zerar a vida no Mega Drive, você aceita?”

Olhei para aquela luz ofuscante com aquele sorrisinho maroto pensando na oferta dos deuses virtuais na minha frente com um brilho nos olhos maiores do que a luz ofuscante e perguntei se eu poderia fazer um pedido antes de aceitar, ele curioso em saber o que eu queria quis ouvir, então pedi para que trouxesse a Sakura comigo HAHAHAHAHAHA Eu e a Luz com voz do Cid Moreira rimos muito, aí ele solta um joinha com a luz! rs

“Muito bem guerreiro, trarei a Sakura contigo, porém o desafio é matar meu inimigo que é um vírus que se instalou no Mega Drive e transforma todos os dados em programas de vídeo games rivais, fazendo com que a SEGA sumisse do mapa, seu objetivo é entrar no universo do Mega Drive e destruir o vírus.

Nesse momento o Cid Moreira sumiu e apareceu um portal dimensional trazendo a Sakura toda confusa, marrenta e tímida olhando pra mim e pensando “que que eu to fazendo aqui? quem é você? você me sequestrou em outra dimensão? Devolva-me para eu mesma…”

Eu fechei o olho, respirei, fiquei nervoso também por esta situação e falei calmamente “A partir de agora, você viverá a vida dos seus sonhos, vamos ser um jogo de vídeo game ao vivo, nossa realidade agora é zerar os jogos de Mega Drive”. Ela me olhou com uma cara de “O que é Mega Drive?” hahahahah Aí eu tipo, “aaaah geração HDMI ¬¬ no caminho eu te explico, só pula comigo e vamos zerar esse jogo” já puxando ela pelo braço e correndo em direção ao portal que se abriu na nossa frente…

O portal nos trouxe de volta para o meu quarto, mas havia uma mudança drástica, magicamente, todos os meios de comunicação, todas as pessoas em volta, TV, jornais, internet, celular, pessoas, tudo falavam com a gente de uma forma a lá Mestre dos Magos, aparecia, mandava um recado e logo sumiam ou simplesmente ignoravam dizendo que não nos conheciam, tipo NPCs. Olhei para a Sakura e pensei “poarr eu trouxe a garota comigo e eu não disse o que estamos fazendo de verdade.” O olhar, a percepção e o choque de realidade foram muito nítidos no rosto dela, ela sentiu que tudo havia se transformado num grande jogo. Neste momento, a TV ligou sozinha dando play em Prince of Persia e a Sakura pegou o controle pra dar início ao jogo. O Vírus surgiu na nossa frente saindo da TV, pegando a Sakura e levando-a para dentro da TV… Eu olhei pensando poarr de geração HDMI HAHAHAHAHAHA Mas eu me desesperei, mesmo que rindo, eu estava nervoso, comecei a entrar em pânico porque a Sakura foi raptada, daí entrou a abertura do jogo e dizendo que tenho 12 horas  para salvar a “Princesa Sakura.”

Cara, nisso eu fui engolido pela TV e era uma coisa inacreditável porque dava para saber que no universo normal, os meios de comunicações eram diretamente afetados pela trama que aparecera diante a minha frente, como se em uma realidade alternativa eu realmente estivesse salvando o mundo… O universo começou a se materializar no lendário cenário de Prince of Persia, eu com a espada, estava encarregado de andar por aquele labirinto e salvar a princesa, pelo menos era o que eu esperava que iria acontecer né… Só que era vida ou morte, eu não tinha a opção de voltar, é matar ou morrer, era seguir em frente independente do que apareceria na minha frente. Comecei a correr, porque eu só tinha 1 hora pra chegar no final do jogo… Cara, que labirinto difícil, infernal, surreal, inimigos de elite, lutas desbravadoras e cansativas, alguns momentos de reflexão profunda para não cair em nenhuma armadilha, algumas eu caí, lá nos espinhos por exemplo, mas como tinha 3 vidas no jogo, depois de muito esforço físico e mental, cheguei no Lord Sutão Vírus FDP!!!! Lutei, lutei, lutei, um fim com um golpe de muita sorte e com a vida no finzinho, consegui derrotá-lo… O vírus se transforma em um estado de vapor gritando que isso é só o começo e some pelo oculto.

 

Nisso o universo se desmaterializa e transforma-se tudo no jogo OutRun, já me direcionando naquela Ferrari lindona e eu já pensando no quanto me dei bem por se tratar em um jogo de corrida agora hahahahah Mas para dificultar um pouco as coisas o vírus encurtou o tempo para chegar aos checkpoints, além de que, são 5 checkpoints onde cada um há uma bifurcação para escolher um caminho, só que o caminho da direita é sempre mais difícil que da esquerda, então eu tinha de chegar até o final pela extrema-direita do caminho, que era o caminho mais difícil possível entre todas as combinações de caminhos… Já no primeiro checkpoint o tempo estava quase no limite, pensando no pior que poderia acontecer, respirei fundo e pé em baixo e bora não sair de nenhuma curva, guiar na ponta dos dedos, e foi assim no estágio 2, 3, 4, no quinto eu parecia um louco inerte na corrida, eu não pensava em nada além de chegar no tempo estimado, era como se eu tivesse em transe dentro de um túnel e eu só ia, ia e ia… poarr de vírus mano, mas consegui no limite dos milésimos cruzar a linha de chegada.

 

 

Ao sair do carro tudo se desmaterializou novamente deixando tudo no escuro por um tempo até que eu fiquei inconsciente e acordei deitado, pulei da cama ao ver que tudo não passou de um sonho, naquele pique feliz e puto voltei à realidade, pensava eu, liguei a TV e mano, falavam e davam notícias, mas era exatamente como se fossem metáforas ou até mesmo indiretas de acontecimentos do jogo, cara, como se jornais, novelas, jogos, tudo fossem influenciados pelo meu sonho, aí fiquei louco de vez. Quando eu saí de casa fui até um parque e, para meu espanto lá estava a Sakura, fiquei perplexo porque não sabia como falar com ela, se chegava falando que sonhei com ela e falar tudo normal ou fingir que não conhecia, buguei tá ligado? Hahahahaha Aí quando me aproximei dela, ela me reconheceu, então fiquei mais bugado ainda, que porra de sonho/realidade é essa? Mas quando fui falar com ela, mano o impossível aconteceu… Não era sonho, era a abertura de Castle of Illusion, o vírus se transformou na Bruxa da Branca de Neve, exatamente como no jogo levando a Sakura com ela…

Eu corri, corri, até que avistei um castelo gigantesco, mano, não era sonho, o vírus projetou a vida real, mas uma simulação perfeita, porém agora eu estava no lugar do Mickey e tinha de matar a bruxa para salvar a Minnie, e lá vamos nós de novo me lembrando quando eu era criança, pois já havia zerado esse jogo milhares de vezes, só que mano, tá no nível KratosPistolaEm16bits hahahahah fase da floresta, da teia de aranha, da floresta obscura e o primeiro chefão foi mamão com açúcar, mas depois mano, os soldadinhos de chumbo eram aterrorizantes e brutalmente apelões, imagina os chefões que vinham pela frente, e meu único poder era tacar uma bombinha azul neles e/ou pular em cima para mata-los. Esta fase é ridícula, pelo fato de a porta para a próxima fase estar bem na frente do início da fase, mas ter de subir até o topo do mapa só pra pegar a chave e descer… O chefão é um palhaço que se transforma no It e vêm pra matar, só lembrando que é minha vida real nessa, é enfrentar o palhaço e seguir a fase… Passei pelo chefão que controla a mina de água, passei pelo chefão que só queria esfaquear, passei pelo chefão dos doces, passei pelo chefão do aquário, depois de muito cansaço, cheguei no trecho final do jogo, ao matar o último chefão antes da bruxa, me deparei de frente a um espelho, no final da porra do jogo e fui sugado pelo espelho que me levou a uma 2ª dimensão do Mega Drive, uma realidade alternativa da realidade alternativa hahahaha e do nada eu saí de Castle of Illusion e mergulhei em World of Illusion, puta que pariu parssero, da mesma maneira que estou fritando absurdo, estou em pânico porque estou simplesmente vivendo no mundo do vírus e não dá pra saber quantas ilusões estão por vir…

 

E lá vamos nós para mais um jogo e mano, esse não estava tão difícil, chegando na metade do jogo, entra-se no universo de Alice no País das Maravilhas, lutar com as cartas de baralho e o exército infinito da Rainha Vermelha querendo à todo custo cortar minha cabeça, depois de um tempinho no País das Maravilhas, o jogo trava, tudo se congela, menos eu, aí vem uma voz macabra e começa a dar uma risada maligna e uma conversa “formal” entre eu e o vírus… “Porque você não desiste e entrega-me a sua alma? Tudo o que você está fazendo aqui é correr em círculos e se humilhar, pois eu transfiro todos os dados e coloco no universo real, e você é uma piada mundial com as notícias minhas MUHAHAHAHAHHA”

Mas que poarr esse estrupício estava falando, eu revidei e gritava olhando pra cima, pois era só uma voz com o cenário congelado e berrava que não importava o que aconteceria comigo, não importava o que minha imagem significava para ele, para quem estava por trás, e eu jamais me venderia para alguém que está fazendo uma mulher de refém, e eu gritava que eu ia até o final não importando as consequências… Nisso o cenário começou a pegar fogo e eu sentia a queimadura, eu sentia aquele fogo me consumindo, cara, o vírus me queimou por 10 segundos e depois o fogo sumiu…  Caí no chão deitado quase inconsciente e vi que duas pessoas apareceram, mas tava escuro e eram vultos ao meu ver, não vi nem reconheci quem eram, mas ouvi uma voz gritando “vai garoto, é você o escolhido”… Nisso tudo sumiu e a voz do vírus ressurgiu:

“Muito bem justiceiro, já que você quer me derrotar, então vamos sair da mundo da Disney e jogar jogos entre eu e você!”

O vírus, embora soubesse de todos os cheats e bugs de todos os jogos, não contava que eu nasci jogando Mega Drive, eu sou o bug humano que ele não calculou no seu plano… Eu passei anos da minha infância tentando zerar Sonic The Hedgehog 2, tentei incontáveis vezes desde meus 4 anos de idade, e nunca zerei, quando deu um clarão e começou a fase 1 desse jogo, parsas, é agora mano, ver esse cenário nunca me fez tão confiante de mim mesmo na vida, cara nesse momento eu senti que ele fez a única escolha errada de me enfrentar, eu joguei esse jogo de olho fechado, eu corria de olhos fechados e cruzava em tempo recorde, mesmo que o handicap estava no level Kratos a favor do vírus, não tinha uma armadilha que eu caí, fase por fase, e ainda coletei todas as 7 esmeraldas no caminho… Após coletar a sétima esmeralda, abriu uma tela oculta com um discurso…

 

“Olá, se você está ouvindo isso, certamente é porque conseguiu entrar neste universo e coletar todas as 7 esmeraldas, eu sou uma cópia fiel à genética de uma pessoa. Esta pessoa foi condenada por um crime em 1988 que, alego-me não ter cometido, por isso, criei este universo para que alguém pudesse desvendar meu enigma, não importando quantos anos passe, descubra se minha alma merece a condenação, ou a redenção. O que eu sei te dizer é que não foi eu que errei, mas não há provas, não há imagens, fotos, gravações, não há nada que possa provar minha palavra, porém, eu tenho claramente uma lembrança de ter visto uma pessoa naquele lugar, se você o achar, descobrirá o enigma.”

Nisso a voz sumiu, eu ganhei um terno smoking branco, uma chapéu, abri uma porta, e simplesmente começou o jogo MoonWalker, do Michael Jackson… Mas pera lá, pelos meus conhecimentos e com base em tudo que eu já vi a respeito de 1988, a primeira pessoa que me veio na cabeça foi Ayrton Senna, aí quando a voz some eu viro o Michael Jackson? Buguei de novo, mas enfim, comecei a lutar contra todos da gangue, atrás de salvar a criança, mas no caso era a Sakura, no jogo, precisa encontrar um certo número de crianças no cenário para poder lutar contra o chefão do cenário…Todas as crianças eram ilusões da Sakura, e eu ficava nervoso e surtado sempre que via a imagem dela e ouvia a voz dela sem ser ela de verdade… Eu nunca dancei na vida, aí meu parsa, só sei que dancei Smooth Criminal, Beat it, Bad, Trhiller, Billie Jean…  Todas as vezes que chegava na hora do chefão, o vírus aparecia e falava “Você nunca vai me pegar!”, sumia e aparecia capangas, capachos, subordinados, cachorros, aranhas, soldados, mafiosos, tudo contra mim, e eu dançando matava todos de uma vez. kkjj

 

 

 

Na fase do cemitério, cai uma estrela cadente na Terra, no jogo, se pegar a estrela cadente, o Michael Jackson vira um robô indestrutível… Quando peguei, comecei a me transformar em um robô, mas mano, era como se eu ganhasse um segundo cérebro dentro do meu cérebro, eu recebi lembranças, pensamentos, atributos, personalidades do Michael Jackson instantaneamente… E aí eu comecei a ligar os pontos do enigma e o cérebro dele…

“Me vinha pensamentos suicidas, por ter sido condenado por algo que não fiz, eu fui acusado por uma criança por pedofilia, então joguei minha personalidade no Mega Drive, através do filme e jogo MoonWalker, para que esse caso fosse reaberto com olhos da justiça, e eu senti essa injustiça como se eu fosse ele de verdade…Dava vontade de sumir, de trocar de identidade, de corpo, de país, de qualquer coisa…Não sabia o que fazer….”

Era o que veio na minha cabeça, aí eu me lembrei do ano de 2009 quando Michael Jackson morreu, meses ou um ano depois, o pai dessa menina e essa menina que ele supostamente cometeu pedofilia, confessaram que armaram para o Michael Jackson… AAAAAAAAAAAAA meu ídolo foi condenado por algo que ele não fez, e eu tenho a resposta na minha cabeça desde o início, meu Deus, que vexame mundial, como eu queria que ele tivesse forjado sua morte para hoje reaparecer só pra ver a cara do pai e da filha… Essa ira começou a me consumir, e eu saí de mim, eu fui jogando o restante do jogo na base do ódio, tava mais pistola que o Kratos. Quando cheguei no último cenário, olhei pro vírus e comecei a gritar e xingar sem parar incontrolavelmente por mandar terceiros ao invés de mostrar as caras… E ele rindo sem esboçar reação ou algum sentimento… Eu peguei uma nave e saí para o espaço atrás dele, e ele em outra nave fugindo, e começou uma caçada a lá Galaxy Force II, e eu pilotando com sangue nos olhos, com a faca nos dentes sem pensar em absolutamente nada além de derrotá-lo… Foi uma perseguição de gato e rato que poderia durar a eternidade pela imensidão do universo (infinita, diga-se de passagem),  até que um tiro acertou a nave dele, enfumaçando sua nave, o universo deu uma bugada, e aí eu vi que acertando-o, causa bugs e deja vu no jogo, então senti que estava me aproximando do final…

 

Mas tudo se desmaterializou novamente…E  me senti como se estivesse caindo de um abismo sem fundo na escuridão, até que cai, comecei a ouvir uma plateia gritando, luzes se ascenderam e eu estava dentro de uma arena de Boxe com luvas, me preparando para lutar, aí pensei é agora que vou te esmurrar né, mas mano, olha o tamanho da covardia, ele colocou rostos de pessoas que eram próximas a mim como oponente, eu não sabia o que fazer, eu fiquei em choque, mesmo sabendo que era ilusão, só apanhava, apanhava sem revidar, eu não queria agredir conhecidos, mas quando fui nocauteado, me veio a voz do Cid Moreira gritando, vocês já ouviram o Cid Moreira gritando? Pois é, o Cid Moreira gritando “POARR NÃO DESISTA, VOCÊ NÃO TEM IDEIA DE QUANTA GENTE ESTÁ COM VOCÊ GAROTO!!!!!

Levantei na hora e esmurrei, nocauteei 5 oponentes seguidos sem perder, eu estava dominado pelos instintos, domado pelas emoções e a razão passou a não existir mais em minha cabeça, me lembrei da Sakura que está todo esse tempo mantida em cativeiro sabe-se lá onde e como e eu pensando em desistir…

 

Enfim né… Continuei, aí o Vírus começa a se irritar e grita furiosamente dizendo que trocará de jogo… Streets of Rage, agora era briga de rua memo mano, sai na mão com tudo e todos que apareciam, no final, eu tive que lutar contra 34 pessoas de uma vez só, uma roda de 34 pessoas me cercando mano, todos armados com qualquer tipo de armas ou de torturas possíveis e eu no meio sem nada nas mãos, quer saber como eu venci? Começaram a me chamar de gay, me bullyinar, me difamar, destruir minha imagem, tentando me matar físico-moralmente. Aí eu parei, fiquei em silêncio de olhos fechados ouvindo apenas a minha respiração por 12 segundos enquanto eles falavam, eu tentei dialogar, aí eu disse de um jeito e com palavras totalmente erradas, como quando estamos muito nervosos e falamos coisas que não fazem sentido ou que em primeira instância é mentira, mesmo assim ninguém deu ouvidos, continuei, apanhei demais, apanhei monstruosamente, de uma forma de uma nação contra mim, literalmente.

Mesmo tentando contar a verdade, as palavras certas não vinham na boca e também ninguém se preocupou em me ouvir… Daí me toquei né, porque eu to discutindo com um bando de NPCs anecéfalos? Mas eu queria que o vírus ouvisse, sem sucesso… Comecei a imaginar que tipo de imagem a vida real tinha montado de mim, que tipo de bullying mundial eu sofreria quando esse jogo acabasse…

De um modo fúria ligado, inacreditavelmente eu venci os 34 de uma vez, eu atingi um nível de velocidade, como se meu instinto descobrisse ali, naquele momento, o segredo do bug, podendo ser qualquer personagem de qualquer jogo, tendo assim poderes similares ao vírus… Eita, aí eu comecei a gostar do que estava sentindo. O Vírus imediatamente apareceu com uma cara espantada perguntando o que eu era, um humano ou uma máquina? Como eu consegui fazer alterar o meu personagem?

 

 

Nisso o vírus mudou de jogo para Ultimate Mortal Kombat 3, e ele gritou na fúria

“EU SEREI SEU OPONENTE, EU SEREI TODOS OS PERSONAGENS E LUTAREI COM VOCÊ TODAS AS VEZES ATÉ VOCÊ SAIR DAQUI DERROTADO”

MANO, FORAM 54 LUTAS SEGUIDAS, FOI UM BAGULHO SURREAL DO SURREAL DO SURREAL, ISSO DEMOROU PRA CACETE E EU ME ESQUECI DO TEMPO, FALTAVAM MENOS DE 2 HORAS PARA ACABAR O TEMPO…. FOI PIQUE YOMI VS YUSUKE ESSA BAGAÇA PARSSERO…

Aí não teve jeito, eu sendo o Scorpion o tempo todo, dessa vez ele veio do chefão da porra toda Shao Khan… Parssero do céu, mesmo sendo uma realidade virtual, eu sentia as dores, cansaço e esgotamento emocional realmente, eu sentia tudo, tudo o que eu ouvia eu senti, e senti demais sabe? Por uns milésimos de segundo passou tudo o que eu passei, tudo o que eu senti, tudo o que eu lutei, senti as emoções das últimas 10 horas em 10 milésimos, senti que não se tratava de zerar um jogo, zerar a vida ou ganhar uma recompensa, eu lutava por algo muito maior do que qualquer recompensa que o Cid Moreira prometeu a mim, o Vírus fez a sua imagem e construiu uma reputação e um império na vida real roubando dados de terceiros, mano tem coisa que está muito mal contada aí….

Olha, essa luta demorou 24 minutos, mesmo o vírus sendo o Shao Khan, eu dei Brutallity… MOOOOOOONSTER KILLLLLL

 

 

Mesmo assim o vírus não morreu, e começou a rir, me perguntando porque eu ainda não desisti de lutar contra alguém que não sente dores e manipula o espaço-tempo de forma que me faz correr em círculos sem parar… Olhei bem pra ele e me lembrei de algo que estava esquecido da minha mente por muitos anos, e calmamente disse a ele “Eu vivo o hoje, eu sempre vivo o hoje me esquecendo do ontem e sem me preocupar com o amanhã, você se congelou nesse universo só pra dizer pra você mesmo que é imbatível, que é superior a todos, pra se engrandecer roubando arquivos e dados que não são seus só pra seu prazer, gente como você não merece viver nem virtualmente, nem na realidade…”

Nesse momento, senti uma vibração incomum em meu corpo, como se tivesse descoberto um sexto sentido e eu, simplesmente consegui manipular o espaço-tempo com a força da mente, comecei a controlar o ambiente igual o vírus, pique o jogo da imitação, como se descobrisse a decodificação do vírus e copiasse para meu cérebro, a la Alan Turing… O vírus ficou imóvel, incrédulo com o que eu acabara de fazer, ativei um cheat de Super Mônaco GP, peguei a Ferrari e falei que dessa vez era esse imbecil que estava no meu jogo… Como era um jogo não licenciado, o circuito de Mônaco era um pouco diferente, porém comecei a corrida e depois de algumas voltas eu vi um carro quebrado no canto da pista e me lembrei do enigma… “…não há provas, não há imagens, fotos, gravações, não há nada que possa provar minha palavra…

 

 

Comecei a pensar no enigma e, pensar no que Michael Jackson Ayrton Senna poderiam me mostrar, mas voltei a me focar e continuei correndo, só que eu já decorei o traçado de uma forma que eu estava tão à frente do vírus, que próximo de dar uma volta nele, eu bati o carro. Bati da mesma maneira que em Mônaco 88, e eu descobri o que aconteceu nessa curva, logo depois tudo se desmaterializou e tornou-se o Super Mônaco GP II, jogo oficial do Senna, e a mensagem do enigma começava a me martelar… O que Michael Jackson e Ayrton Senna têm a ver com um enigma?

Mas essa não era a questão no momento, o que realmente importava era como derrotar aquele vírus que deteve um poder maior que o meu e que nos trouxe de volta ao Castle Of Illusion, só que a Bruxa se transformou no chefão de Castlevania no nível Suplício XXX, caralho mano, tenho 45 minutos para derrotar alguém 30 vezes mais forte do que eu…

 

 

O erro de 88 me fez focar absolutamente no meu objetivo, sem mais, nem menos, as pessoas que querem ser os melhores sempre dão mais do que o seu máximo e, por vezes, a única coisa que pode nos atrapalhar, somos nós mesmos, injustiças sempre vão acontecer, por isso a palavra justiça existe, erros sempre vão acontecer, por isso existe acertos, mas a verdade é que ninguém acerta 100% do tempo, quando uma pessoa tem um talento natural, um dom divino que é da pessoa, aquela qualidade que nasceu na pessoa, é comum testarmos a pessoa, isso inclui testes psicológicos e fisicos além do limite, quanto mais talentoso uma pessoa é, mais expectativa damos à ela, todo mundo age assim, mas a partir do momento que temos um talento extremamente único e beirando à perfeição daquilo, esquecemos que a cautela e a margem de erro sempre vai existir, que a inveja também vai existir, por vezes a inveja é morder o fruto proibido e achar que está no bem bom, quando na verdade, a nossa única vontade é de ser aquela pessoa, por outro lado, o invejado também tem seu papel defeituoso, a falta de humildade e percepção de enxergar o próximo com mais respeito gera descontrole emocional em ambas partes. Às vezes somos machucados por pessoas que gostamos muito e a pessoa nem sabe que machucou, e o que a gente faz? Faz a pessoa sofrer da mesma maneira, há uma imagem de acidente de 88, depois de passar exatamente virtualmente o que o Senna passou realmente, eu, não sei como o público reagiria com tudo isso. Olhando para meu inimigo na minha frente 30 vezes mais forte do que eu, mesmo sabendo que esse vírus está me sugando e me fazendo correr em círculos que nem idiota faz 11 horas não posso me dar ao luxo de cair na conversinha dele, não posso me deixar levar pela impulsão, pela falta de ética, eu não posso me igualar à essa podridão…

Da mesma maneira que Senna não ouviu ninguém, ninguém ouviu o Senna, agora jogar óleo só para lá na frente dizer “eu te avisei” e ainda combinar um pacto de silêncio é muito infantil da sua parte, é querer viver um conto de fadas com falsos sentimentos, com falsas pessoas, com falsas histórias, com falsa vida, é dizer que fulano errou no passado com você, mas você de agora ser exatamente o fulano do passado, isso seria um anti amadurecimento… E é exatamente isso que o vírus fez…Eu contava apenas com meu olhar para a pista e na confiança de mim mesmo em ganhar aquele GP, pouco me importava dar volta no meu rival, mas eu realmente tinha talento para isso e eu passei a querer fazer isso… Mas imprevistos acontecem, o vírus deu um bug na curva, eu fiz a curva certo, mas o cenário que bugou e bati… Ganhar o universo enganando o mundo? Eu não posso parar aqui…

 

 

Pela primeira vez na minha vida, eu senti paz de espírito, calma na alma, uma tranquilidade a ponto de parecer que o vírus atacava em câmera lenta, estava tudo ridiculamente patético, quando eu comecei a golpeá-lo em sequência, o universo começou a se corroer, dava pra ver nitidamente correntes sendo quebradas pelo ar, paredes trincando, tudo se corrompendo e a voz da Sakura começou a ficar cada vez mais alto, o vírus que desde o início do jogo veio pra me matar e me fazer de escravo, na realidade estava se tornando escravo do meu protagonismo!

Mas qual era o enigma? Lembra no início que eu disse que todos os meios de comunicação, tv, rádio, internet, pareciam que conversavam com a gente e pareciam NPCs? Então, isso aconteceu nos anos 80… Comecei a ligar os pontos de notícias e artigos de jornais antigos, juntando em como eu adquiri poderes de manipular o espaço-tempo do jogo e gritei com o vírus “Heeeeeey você não é um vírus, você é um humano ou uma cópia fiel de um humano… quem é você?”

O vírus se levantou, me olhando com uma cara sarcástica e disse “Você está prestes a morrer, seu tempo está se esgotando, então permita-me apresentar, meu nome é Mitsumoto Samoretto, eu sou uma inteligência artificial de uma pessoa de mesmo nome, eu sou esse vírus que consegue transferir dados deste universo para outros universos, passando arquivos, códigos, segredos e projetos da SEGA para a empresa de Mitsumoto, eu não sei como um humano entrou aqui, isso seria impossível de acon… A não ser… NÃAAAAAAO… NÃO PODE SER!!! COMO VOCÊ É REAL? A CONTINUAÇÃO DO PROJETO QUE EU PROCUREI TODO ESSE TEMPO… VOCÊ É O RESULTADO DO PROJETO COMPLETO…VOCÊ É O HUMANO CIBERNÉTICO QUE ESTÁVAMOS TENTANDO CRIAR…SATOSHI AKIRA!!!”

Mano, quando ele disse isso, a ficha caiu pra mim, o segundo cérebro que tinha “ganhado” lá atrás não eram do Michael Jackson, era da pessoa por trás do enigma, mas quem era esse tal Satoshi Akira? Confusões, distúrbios, surtos, comecei a ter transtornos de dupla personalidade naquele momento, como se eu fosse alguém muito mais velho ou muito além de quem eu fui desde que nasci… E surgiu uma voz dentro da minha cabeça dizendo o que eu tinha que fazer e o que tinha que falar…Então respirei fundo, tentei controlar minha mente, me auto controlar, olhei pro vírus e desmaterializei o universo novamente, transformando tudo no primeiro jogo oficial de Mega Drive lançado em 1988, Altered Beast, um jogo muito primitivo, mas que na verdade esse era o segredo o tempo todo, esse jogo possui apenas 5 fases, e precisa evoluir-se para enfrentar o chefão…Ao evoluir tem a possibilidade de enfrentar o real chefão do jogo, era um jogo muito simples, a partir deste jogo, aprimoramos todo o restante com o passar do tempo… Mas, ao transformar o universo neste jogo, transformamos não só a imagem, mas o sistema do universo foi mudado para o primeiro sistema, ou seja, um programa mais avançado geralmente não roda em sistemas mais antigos, então ao rodar Altered Beast, o jogo que tinha um código, fazia o sistema do video game voltar para a primeira versão, sendo o vírus ficado incompatível com o universo e sendo extinto pelo além… Nisso surgiu os dois vultos que eu via visto antes revelando-se como Satoshi Akira e o outro tinha a voz do Cid Moreira, dessa vez eu vi o rosto da Luz e a Sakura do lado com um brilho nos olhos de tipo “eu quero me lembrar disso pra sempre, eu quero jogar também, eu não to acreditando nisso!!”… Satoshi olha pra mim com uma cara muito feliz…

 

 

“Você estar aqui significa que o projeto foi um sucesso, eu sou Satoshi Akira, criador do universo Genesis Mega Drive, tudo o que viu, viveu e sentiu aqui surgiu comigo… Porém eu sou uma inteligência artificial limitada, minhas lembranças, memórias, sentimentos e pensamentos foram apagados e alterados, minha função deixou de ser uma inteligência artificial e passei a ser um secreto anti-vírus escondido no programa este tempo todo… O código para me ativar era jogar Altered Beast, um jogo tão primitivo que ninguém nunca jogou.” Nisso o cara da voz do Cid Moreira interrompeu…

“Você não é um humano qualquer, eu e a Sakura não estamos aqui realmente, estamos no mundo real atrás de um computador e mergulhados como personagens aqui, mas você…Você é, até a presente data, o maior experimento científico da humanidade, fizemos três experiências em você, e seu corpo, sua genética, cara, nós da SEGA acompanhamos você desde seu nascimento, é surreal como você está vivo e, acima disso, como os experimentos resultaram respostas que na teoria eram impossíveis…

O primeiro projeto era criar inteligências artificiais em um universo virtual, com isso, copiávamos personalidades, códigos genéticos, memórias e pensamentos de pessoas e transformávamos em seres virtuais, com base nisso, conseguimos criar um mundo de clones de pessoas reais virtualmente… O experimento foi um sucesso, pessoas importantes como Ayrton Senna, Michael Jackson, Satoshi Akira e Mitsumoto Samoretto foram transformados em pessoas virtuais neste universo em que estamos… Começamos a sonhar mais alto…

 

 

Com o sucesso de um clone virtual perfeito, queríamos saber se era possível clonar seres vivos, e este foi o segundo projeto, passamos a estudar, éramos um grupo de programadores, médicos, biólogos, psicólogos, psicanalistas e cientistas, claro que era um serviço ultra secreto, para se ter uma ideia, o Instituto de Tecnologia e Ciência do Japão está, no mínimo, 20 anos à frente do nosso tempo, estávamos lançando no mercado o nosso produto comercial Mega Drive, mas dentro dos nossos laboratórios, havia o computador que continha este universo, nomeamos de Genesis Mega Drive, a CPU deste computador contém dados de várias inteligências artificiais e, os cartuchos de jogos, eram para este computador, cada universo que criávamos era para saber como cada tipo de pessoa lidaria naquele tipo de situação, jogo e/ou universo. Passamos então, a usar ovelhas, coelhos e patos como cobaias de nossos experimentos, tentando criar uma mutação genética e criarem clones reais… O projeto foi um sucesso… Começamos então, um terceiro projeto…

O terceiro projeto é mental, desde Freud, muitos começaram a se aprofundar no estudo da mente humana e seus mistérios, começamos a juntar tudo que tínhamos de melhor na psicologia e psicanálise e começamos um estudo para saber se há conexões mentais entre as pessoas e se um humano seria capaz de controlar uma máquina apenas com a força da mente, este estudo não foi finalizado…

 

 

Em 1988, Akira e Mitsumoto começaram uma discussão durante o trabalho, Mitsumoto queria divulgar partes do projeto para ganhar dinheiro, alegando que tudo o que já tinha ali renderia milhões para o pessoal do projeto, Akira discordava e dizia que o projeto devia manter-se sob sigilo até os resultados finais serem descobertos, ou seja, até o final do terceiro projeto…

Alguns dias depois Akira saiu para um bar à noite, quando voltou apenas na manhã seguinte, sua esposa Asami Hamano, dias depois acusou-o de trai-la naquela noite… A polícia foi até a casa do casal e interrogou Akira perguntando onde ele estava naquela noite, Akira disse que conheceu uma garota chorando no bar que se dizia perdida e pediu ajuda para chegar em casa, então, resolveu dar uma carona para a garota, que morava do outro lado da cidade, ao chegar, o pai convidou-o para entrar e tomar um drink como agradecimento, mas que acabou dormindo lá por estar tarde e ter bebido e que voltou para casa de manhã… No tribunal o pai da garota e a garota apareceram, acusando-o de ter bebido em excesso e estuprar a garota naquela noite por encontrar-se sozinhos na casa, alegou que nunca o viu antes e que ele não estava naquela casa… Akira começou a gritar, surtar, dizendo que ele estava mentindo… Foi condenado por estupro e foi desligado da SEGA, mas antes de ir para a cadeia, foi até o laboratório às pressas e fez uma atualização do sistema do computador central, que aparentemente não tinha mudança alguma, mas o que ele fez na verdade foi ocultar esse anti-vírus criado por ele mesmo sem que absolutamente ninguém soubesse. Mitsumoto ficou responsável pela pesquisa, mas nunca conseguiu seguir seu projeto, pois preferiu vender conteúdos e produtos, ficando bilionário, desvinculando-se da SEGA e abrindo sua própria empresa de tecnologia. Aconteceu uma maldição após Akira ser preso, todas as pessoas que tinha clones virtuais e pessoas ligadas à esse projeto foram, com o passar do anos, acusados de crimes, de plágia e/ou mortos… (Sendo que devia ser o contrário)… Akira ficou 12 anos preso.

Criamos diversos jogos para Mega Drive, para outros video games, como o Master System e o SEGA Saturn, o laboratório que estava o computador particular do Akira foi trancado e inutilizado por anos, até que em 1992, abriram sem compromisso algum e encontraram uma carta escrita por Akira, ele contava que tudo foi uma armação para prender ele e ganharem dinheiro com todas as pesquisas e que no dia que levou a garota na casa dela, viu e cumprimentou o vizinho da casa dela, e que se encontrasse esse cara, provariam a sua inocência. O então presidente da SEGA teve a ideia de pegar os dados do clone virtual de Akira e tentar trazê-lo vida real, ou seja, fazer o Akira nascer de novo para ele mesmo nos dizer o que realmente aconteceu com ele naquela noite. A decisão de criar um novo Akira era mais sigiloso e com mais probabilidades de dar certo do que ficar visitando o Akira de verdade na prisão, iam perceber fácil essa trama.

Juntamos todos os estudos e resultados dos três projetos e pensamos em criar um Frankeinstein… Um bebê com mutação genética, clone de outra pessoa e que seria capaz de realizar tarefas com o poder da mente… Inacreditavelmente, você passou dos limites de qualquer tipo de expectativa que criamos em você e eu vou te contar porquê…

 

 

Você não é apenas um clone do Akira, você possui códigos genéticos de Michael Jackson, Ayrton Senna, Satoshi Akira, Mitsumoto Samoretto, Asane Hamano… Além de que, criamos uma tecnologia que passa em uma TV tudo o que vêm em sua mente, então tudo o que você pensa, cria e sente, nós vimos por um computador, além de conseguirmos nos comunicar, com você por este computador, sim, você é um humano 100% criado em laboratório… O problema é que esse projeto se tornou público, em partes, descobriram que você era uma mutação genética, sem saber os demais detalhes, você foi raptado quando era bebê, foi torturado e envenenado, na maldade mesmo, mas inacreditavelmente você não morreu e aos poucos, o mundo inteiro foi te conhecendo, e acredite, muita gente passou 20 anos torcendo para você resolver este caso… Se lembra na sua infância que te chamavam de mentiroso, esquizofrênico, diziam que você parecia uma menina, diziam que tinha amigos imaginários e que preferia falar sozinho à socializar? Então, tudo o que você falava, não eram tão mentiras assim, eram as genéticas de todas essas pessoas se manifestando, mas você ainda era criança, não conhecia nem a si mesmo, imagina todos que estão dentro de você… eram flashbacks de lembranças do passado dessas pessoas, sentindo o que essas pessoas sentiram, (re)vivendo o que todas essas pessoas viveram, por exemplo, quando você dizia que era um traficante, ninguém acreditou, mas você continuou com isso, Mitsumoto era um político-mafioso poderosíssimo, na época ninguém sabia e tudo o que você disse à respeito bate com a vida de Mitsumoto, às vezes você mentia e contava planos “malignos” de fazer traquinagem com pessoas, você contou com detalhes o plano da ex esposa de Satoshi e nem sabe, porque a genética dela também está em você, que mentiu para ficar com a fortuna e o bens dele, nós avisamos para sua família nunca te levar no kart, era o sonho da sua vida ser piloto desde os 4 anos de idade, lembra? Quando você foi no Kart pela primeira vez só com 19 anos o que aconteceu? Você ultrapassou todo mundo pelo menos umas 3 vezes brincando em 15 minutos de corrida… O seu ídolo, na verdade, é você mesmo!!!!!! Você sempre quis ser cantor e aprender a dançar desde criança, Michael Jackson teria orgulho de você… Além disso, essa mutação genética em você fez com que se destacasse muito cedo, com 4 anos de idade falava e agia como um adulto, você dizia coisas que ninguém te falava, as vezes parecia que você previa o futuro, sim, você possuía poderes psíquicos e a sociedade tinha medo de você, mas ninguém entendia ou sabia disso…

 

 

Além disso, você acha que as mídias, as pessoas, jornais, tv, internet falam com você e que todo mundo são NPCs, mas não, você consegue, ainda sem respostas, emanar pensamentos para pessoas e tecnologias, parecendo que conversam com você… isso fez você ser destaque e todos ao redor quererem saber quem é você, até que seu caso se tornou público, aí não era ilusão sua, estavam realmente conversando com você, porque?

Por muito acaso, por obra do destino, ou por pensamento mental seu, você foi acusado de abusar uma garota… E nós nem combinamos isso!!!!! E foi provado legitimamente que você não abusou, você previu o que a garota ia fazer, você descreveu com muitos detalhes uma garota e o que ela faria antes de agir, e ela agiu conforme você disse antes, cara, como você fez isso? Você provou a inocência de Akira, provando que Mitsumoto, o pai e a filha, a ex esposa fossem cúmplices de falso testemunho…

Mitsumoto tinha poder e influência suficiente para que a armação nunca fosse descoberta e, de fato, nunca foi, foi tudo perfeito demais para não ser descoberto e, pessoas que diziam saber a verdade, morriam, mas sempre morriam em um acidente, nada era provado que alguém matava… todo mundo tinha medo de se envolver num caso como esse, os sobreviventes da SEGA decidiram criar você, para que mostrasse em vida o que Mitsumoto ou Akira fez em 1988… ”

Mano, eu comecei a chorar porque pela primeira vez na minha vida toda a verdade sobre meu passado estava sendo desvendado, finalmente estavam me contando aquilo que eu sempre estive atrás mas todo mundo dizia não saber, era como se eu soubesse de tudo e ao mesmo tempo não soubesse de nada… Mas não saía nenhuma palavra da minha boca, mesmo que eu estivesse preparado para a verdade, era muita emoção, adrenalina, medo sentindo ali…Então ele continuou…

“Como recompensa, vamos destruir este computador e este universo, então você estará livre daqui em diante, ningue´m estará mais em sua mente, ninguém mais controlará ou regulará sua vida, em nome de muitas pessoas, obrigado, você ainda não faz ideia do que acabou de fazer… A sua missão virtual foi concluída com sucesso, agora viva sua vida real…”

Nisso tudo se desligou, fiquei inconsciente, comecei a sonhar, ouvir vozes, estava começando a recobrar minha consciência, ainda de olhos fechados, parecia que tinha tido um sonho daqueles… Acordei no meu quarto, minha mente turbulenta em guerra comigo mesmo estava calmo e sincronizado, olhei pro Mega Drive, olhei para a caixa de cartuchos, fiquei pensando nisso tudo que eu sonhei, sério? Mas não disse nada, tive minha rotina normal, fazendo o que fazia normalmente, quando eu liguei a TV, estavam noticiando a prisão de donos de casas de apostas, no qual foram acusados de interferir diretamente em resultados de esporte e de influenciar o resultado de um campeonato… Olhei né, mas que coincidência, o nome de um dos presos era Mitsumoto Samoretto… Quando eu vi o nome dele… É, foi real, logo depois o Presidente da SEGA pronunciou sobre o caso contando que um garoto escreveu uma história similar ao caso de Akira e, que essa história o fez investigar o caso e descobrir a farsa de 88.

Quando eu vi que tudo o que eu vivi neste jogo aconteceu de verdade, então a Sakura realmente viu tudo isso, ela estava lá vendo tudo, agora que tudo acabou e que estou livre desse experimento, tá na hora de sair e ir atrás dela, quando vi ela pessoalmente, independente se foi sonho ou não, já cheguei falando pra ela “Sua geração HDMI, viu que gráficos não significam absolutamente nada? Ás vezes a magia está muito além dos nosso olhos, eaí, vamos ser namorados? rs”